domingo, 21 de março de 2010

José Alencar: ‘Se Deus não quiser que eu vá, não há câncer que me leve’

As bochechas rosadas voltaram ao rosto do vice-presidente José Alencar (PRB-MG), 78 anos, que comove o Brasil com sua corajosa e perseverante luta contra um câncer na região abdominal. Ao contrário de muitos políticos, ele não esconde a doença e o feroz tratamento a que é submetido. Encara tudo com serenidade.

“O desespero não ajuda”, pondera ele, que passou por exames esta semana para avaliar a quimioterapia. Segundo os médicos, sua reação é excepcional.

Quinta-feira, dia seguinte à passeata que levou 150 mil pessoas às ruas no protesto em defesa dos royalties do estado, esse mineiro da Zona da Mata recebeu O DIA para uma conversa em sua casa no Rio e não fez rodeio: “Não se pode tirar o que os estados têm previsto nos seus orçamentos. Isso não pode acontecer e não vai”. E também garantiu: “O senador (Marcelo) Crivella é o candidato de Lula ao Senado no Rio”.


sábado, 20 de março de 2010

Um brinde à vida sexual


Os homens que costumam tomar alguns drinques com regularidade têm melhor desempenho sexual do que aqueles que nunca tomam bebidas alcoólicas. A constatação é de pesquisadores do Keogh Institute for Medical Research, da Austrália, que no entanto alertam: tomar um porre pode ser um tiro pela culatra. Ou seja, o segredo para ser bom de cama está em consumir bebidas com moderação.
O estudo, realizado com 1.580 homens, evidenciou que aqueles que bebiam até 5 doses por semana (porção considerada moderada) tinham uma vida sexual mais ativa e satisfatória do que os que não bebiam nunca ou aqueles que exageravam. Segundo o médico Kew-Kim Chew, coordenador da pesquisa, a incidência de problemas de ereção era 30% menor naqueles que tinham o hábito de beber alguns drinques por semana.
O médico explica que a bebida alcoólica em doses moderadas pode ajudar a desinibir e também pode melhorar a função circulatória, que está diretamente ligada aos problemas de ereção, uma vez que depende da irrigação sanguínea do pênis.
Foram avaliados na pesquisa alcoólatras, homens que bebiam as doses recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os abstêmios e aqueles que não bebiam nada durante a semana mas exageravam no fim de semana. Os que tinham mais risco de disfunções eréteis eram os alcoólatras, seguido dos que exageravam no fim de semana.
Para o cientista, a descoberta é animadora, já que mostra que beber moderamente pode trazer benefícios para a vida sexual. Também indica que homens com disfunções eréteis não precisam abandonar o álcool completamente. “A vida sedentária e o cigarro têm mais impacto na disfunção erétil do que o álcool”, diz.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Carioca sangue bom


Doadores são de classe social baixa e conhecem bem a rede pública de saúde!
Carioca cerca de 35 anos, ensino médio completo e renda mensal de até dois salários mínimos. Esse é o perfil da maioria das pessoas que doam sangue no Hemorio, principal hemocentro do estado, que distribui sangue para mais de 100 hospitais públicos e conveniados ao Sistema Único de saúde (SUS). A maior parte dos voluntários pertence às classes C e D e depende do SUS para cuidar da própria saúde, por não ter plano. Eles são movidos por solidariedade e identificam-se com o sofrimento daqueles que necessitam de sangue. Muitos já tiveram a mesma experiência de dor e angústia.
“Parece que quem enfrenta maiores dificuldades é mais solidário. Talvez isso aconteça porque a pessoa vive mais próxima do sofrimento”, diz a coordenadora de Hemoterapia do Hemorio, Maria Esther Lopes.
É o caso do administrador Ricardo Tunala, 32 anos. A cada 50 dias, ele vai ao Hemorio fazer a doação por aférese, procedimento em que é retirado só um componente do sangue, permitindo que o voluntário doe mais vezes. “Já fiz 64 doações. O que me motiva é saber que posso ajudar as pessoas com um gesto simples. Pretendo chegar a 170 até os 60 anos de idade”.
Doar sangue é um processo rápido. Do momento em que o voluntário senta na cadeira, até a hora que se levanta, o tempo investido é de oito minutos. Somente na doação por aférese o processo é mais longo: cerca de uma hora. Mas cuidado: se você topar com alguma celebridade, pode demorar um pouco mais. “Uma vez um rapaz estava doando quando chegou a Priscila Pires (ex-BBB). Ele ficou tão nervoso que o sangue parou de fluir, a bolsa não enchia de jeito nenhum”, diverte-se uma das enfermeiras.
O estudante Felipe Bomfim não encontrou nenhuma celebridade, mas tem motivos para comemorar. Ele acabou de completar 18 anos. A festa foi no instituto. “Trouxe familiares e amigos, bolo, vela! Muitos doaram sangue”, alegra-se.
Ao doar sangue pela segunda vez na semana passada, o metalúrgico André Santos, 29, não escondeu o nervosismo “Morro de medo da agulha, mas não importa. É um pequeno sacríficio que faço para ajudar os outros”, afirma. Para doar sangue, é preciso estar saudável, ter mais de 18 anos, pesar mais de 50kg e apresentar documento de identidade. Para saber mais, ligue para o Disque Sangue: 0800 28 207 08. O Hemorio é na R. Frei Caneca, 8, Centro.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Gripe suína: vacina já começa a faltar

Doses não são suficientes para imunizar profissionais de saúde!

Rio - No segundo dia da campanha de vacinação contra a gripe suína, o Hospital Clementino Fraga Filho, no Fundão, uma das referências no atendimento à gripe no estado, já interrompeu a vacinação. Segundo o chefe do setor de epidemiologia da unidade, Roberto Fiszman, as 300 doses que o hospital recebeu foram todas aplicadas segunda-feira, no primeiro dia da campanha.
“Estamos aguardando novas doses porque as 300 que recebemos acabaram em um dia. Nosso hospital é uma faculdade. Alunos que estão no hospital, que têm contato com pacientes, são considerados profissionais de saúde no caso da vacinação. Eles têm que ser vacinados para proteger os próprios doentes”, explicou.

Segundo Fiszman, a unidade solicitou 5.700 vacinas contra a gripe suína. “Não temos previsão de quando receberemos mais vacinas”, afirma.
No Instituto Fernandes Figueira, da Fiocruz, referência para gravidez de risco, a vacinação começou ontem. Das 400 doses que o instituto recebeu, 172 já foram aplicadas. A previsão de entrega do novo lote é somente no sábado.

O Ministério da Saúde afirmou, em nota, que não há falta de vacinas e que enviou 226.140 doses para o estado. O município informou que recebeu 50 mil destas doses, e alega que as vacinas estão sendo repassadas aos poucos. E que o Fundão receberá mais doses.

HORÁRIO AMPLIADO

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse ontem que o “desafio” é mobilizar a população entre 20 e 39 anos. Ele pediu às secretarias estaduais e municipais que estendam o horário de atendimento dos postos de saúde nos períodos de 5 a 23 de abril e de 10 a 21 de maio quando serão vacinadas, respectivamente, as pessoas de 20 a 29 anos e de 30 a 39. “São 60 milhões de pessoas saudáveis que temos de mobilizar. Fizemos apelo aos gestores para facilitar a vida de quem estuda, trabalha”, disse o ministro durante encontro com empresários.