segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Sindicância investiga caso de bebê dado como morto

Uma sindicância aberta pelo Hospital e Maternidade Leonor Mendes de Barros, na zona leste de São Paulo, vai apurar o caso do bebê nascido na unidade na última sexta-feira e diagnosticado equivocadamente como morto. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o resultado das investigações devem ser concluídos em aproximadamente 45 dias.
Na sexta-feira, exames clínicos realizados pela equipe médica após o parto não constataram nenhum sinal vital na recém-nascida, que acabou sendo encaminhada a uma sala isolada do centro obstétrico.
O bebê, do sexo feminino, nasceu prematuro, com 25 semanas de gestação e pesando cerca de 700 gramas. Neste momento, segundo a secretaria, encontra-se internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal do hospital, respirando por aparelhos e recebendo todos os cuidados necessários. Seu estado de saúde é grave, porém estável.
O caso será reportado ao Conselho Regional de Medicina (CRM), instância responsável por eventuais punições aplicadas em caso de erro médico.

Nenhum comentário: