segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Ácidos graxos do cérebro podem ser solução para obesidade

Em artigo publicado na revista Nature Neuroscience, os cientistas disseram que um experimento para reduzir os níveis desses ácidos no hipotálamo de ratos de laboratório levou os roedores a comerem mais e a aumentarem de peso. Os pesquisadores ressaltaram que a descoberta sugere que o restabelecimento dos níveis de ácidos graxos no cérebro pode ser um caminho para um tratamento contra a obesidade. Segundo os cientistas, o hipotálamo é o principal regulador cerebral dos hormônios e nutrientes, especialmente a glicose, e regula o consumo de energia e o metabolismo. A solução do problema da obesidade é especialmente importante nos Estados Unidos, onde 60% da população é obesa ou está acima do peso.
O estudo enfocou especialmente uma molécula dos ácidos graxos chamada "malonyl CoA", que seria um dos nutrientes que influi no regulamento do consumo de alimentos realizado pelo hipotálamo. Na pesquisa, os cientistas reduziram o nível da proteína para determinar sua função. O resultado foi um aumento substancial do consumo de alimentos, que teve como resultado uma obesidade que se manteve durante pelo menos quatro meses, disseram. "Demonstramos que a modificação dos níveis de 'malonyl CoA' nessa região do cérebro altera o mecanismo com o qual o hipotálamo controla o peso normal", disse Luciano Rossetti, diretor do Centro de Pesquisa do Diabetes do Colégio Médico. "Determinar uma forma de ajustar os níveis da 'malonyl CoA' no hipotálamo humano pode levar a tratamentos que não só tratarão a obesidade, mas também ajudarão a prevenir o diabetes e outras conseqüências do sobrepeso", concluiu.

Agência EFE

Nenhum comentário: