sábado, 8 de novembro de 2008

Psiquiatras indicam saídas para superar a depressão

Doença psicológica gera muitas dúvidas entre a populaçãoMuito se fala sobre a depressão, mas nem todo mundo sabe exatamente o que é essa doença.Há confusão entre tristeza e não raro são prescritos medicamentos para quem não precisaria tomar.O site da VIVA MAIS preparou um dossiê, baseado em perguntas das leitoras sobre o assunto, com os psiquiatras Leonardo Gama Filho e Rita Jardim. Veja algumas das informaçõesO que provoca a doença?Há muitas causas. Luto, alterações de sono e apetite, transtorno de humor, esquizofrenia, ansiedade, doenças como mal de Parkinson, uso de drogas lícitas e ilícitas, demências e efeito colateral de remédios são algumas delas.Quais os principais sintomas?Desânimo até para atividades prazerosas, desinteresse geral, cansaço físico e mental, pessimismo, culpa, diminuição do desejo sexual, alterações de sono e apetite. Se tais sintomas durarem mais de duas semanas, busque ajuda.Não ter ânimo é um aviso?Apatia (perda de motivação) é sério sinal da depressão. Mas também pode vir de doenças doloridas física e psiquicamente (como câncer e Aids).Eu me isolo, choro à toa, fico agressiva e penso em morrer. É estresse ou depressão?O estresse pode levar a um quadro de ansiedade patológica, que ajuda a desencadear depressão. Seu caso remete a um transtorno depressivo, mas só o especialista pode diagnosticar e tratar.Pode ser fuga da realidade?Ficar deprimida não é mera tristeza, “fossa”, ou fuga da realidade. É uma doença grave, que afeta muito a forma como a pessoa se sente em relação a si mesma e exige cuidados.Ocorre em qualquer idade?Sim, mas é duas vezes mais freqüente em mulheres do que em homens. Crianças de ambos os sexos são igualmente afetadas e, em geral, apresentam dores de cabeça e estômago, irritabilidade e retraimento social. Já os idosos costumam ter falta de memória e de atenção e de capacidade de orientação.Quais os tratamentos?Recomenda-se a associação de psicoterapia e remédios antidepressivos. Por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), sem custos, a vítima pode fazer uma avaliação e dar início ao tratamento com psiquiatras, terapeutas ocupacionais e outros especialistas.Os remédios indicados pelos médicos são fornecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em qualquer posto de saúde.Há cinco anos luto contra depressão. Quais as chances de me livrar dos remédios?Os antidepressivos melhoram cerca de 70% dos casos. Não faça guerra contra o seu tratamento – e isso inclui os remédios! Eles devem ser seus aliados, graças aos quais você terá mais qualidade de vida e voltará a sorrir.Mamãe tem 70 anos, é depressiva e não dorme nem com remédio. O que faço?Nessa idade, a depressão é devastadora, pois pode associar-se a outras doenças e questões existenciais que dificultam o tratamento. Peça ao médico a reavaliação do remédio e terapia.Depressão pode matar?Sim. Cerca de 15% dos pacientes tentam (ou pensam em) se matar. Quem sofre de câncer, coração, diabetes e Aids apresenta taxas elevadas de suicídio quando se deprime.Da Redação
Fonte: Abril.com

Nenhum comentário: